Arrábida, à descoberta do Moscatel de Setúbal – Dia 1

No início do mês de dezembro o blog foi convidado para integrar a Press Trip “Arrábida, à descoberta do Moscatel de Setúbal“, com o objetivo de divulgar a oferta enoturística da Arrábida, com o mote no Moscatel de Setúbal, produto diferenciador da região.

Fiquei muito entusiasmada com o convite, não só porque gosto muito de divulgar o que de bom se faz na minha região mas também porque tive a oportunidade de visitar alguns locais que ainda não conhecia.

O programa teve a duração de 2 dias e foi pensado com o intuito de promover os novos investimentos e oferta enoturística da região da Arrábida (Palmela e Setúbal), da nossa gastronomia e vinhos, assim como das experiências disponíveis no território e que permitem a quem nos visita contactar com a cultura, a história e a qualidade dos nossos produtos únicos, nomeadamente o Moscatel de Setúbal.

Infelizmente, por motivos profissionais, só consegui começar a acompanhar o programa no primeiro dia a partir do jantar, no entanto, deixo-vos o programa completo.

O primeiro dia começou na Casa Mãe da Rota de Vinhos, onde foi servido um pequeno-almoço regional nesta antiga adega, no centro de Palmela, transformada em loja de vinhos e produtos regionais, onde se pode sempre encontrar novos produtos, assim como conhecer a programação enoturística da região.

Depois, seguiu-se uma visita ao Palácio da Bacalhôa, em Vila Fresca de Azeitão.
Com séculos de história,  antiga propriedade da Casa Real Portuguesa e Monumento Nacional desde 1910, a Quinta e o Palácio da Bacalhôa, tem muitas histórias para contar.
A arquitetura, decoração e jardins do Palácio, com a coleção de azulejos portugueses dos séculos XV e XVI prometem uma visita enriquecedora. A fechar a visita uma prova de vinhos no Palácio.

Continuando no mundo dos vinhos, seguiu-se a visita a outra conhecida adega, a Casa Museu José Maria da Fonseca em Vila Nogueira de Azeitão, onde é possível conhecer melhor as histórias de família e os locais onde repousam os Moscatéis, alguns com mais de cem anos de existência, como o famoso Moscatel Torna Viagem.

A manhã terminou com a visita ao Convento da Arrábida, em pleno Parque Natural da Arrábida.
Construído no século XVI, o convento da Arrábida fica escondido entre o arvoredo, virado ao mar, que com as suas quatro capelas cria condições à meditação e contemplação de uma paisagem deslumbrante.
Esta visita é uma experiência única, pretexto para fazer o percurso pela serra da Arrábida, classificada como Parque Natural, e contemplar a baía de Setúbal, considerada uma das mais belas baías do mundo.

Depois do almoço em Setúbal, com uma ementa dedicada aos produtos da região e à harmonização com os vinhos da Península de Setúbal, foi feita ainda uma visita à Casa da Baía, situada na conhecida Avenida Luísa Todi.
Este local é um centro de promoção turística e ponto de encontro para todos que queiram visitar a cidade e a região, encontra-se aqui agregada toda a oferta disponível.
Sede da Confraria do Moscatel de Setúbal, a visita torna-se obrigatória para experimentar uma harmonização da doçaria regional com o Moscatel de Setúbal.

Estava ainda previsto um passeio pelo estuário do sado, com passagem pelas encostas da Arrábida e possível observação dos golfinhos mas devido às más condições atmosféricas, não foi possível a sua realização.

O dia terminou com um reconfortante jantar na Adega Venâncio da Costa Lima, na Quinta do Anjo.
Depois de uma breve explicação sobre a história da empresa e produção dos vinhos, foi servido um jantar vínico com presença de um enólogo. Esta é uma das adegas mais antigas de Palmela, assumindo-se como um negócio de família.
Foi reconhecida como produtor do Melhor Moscatel do Mundo no concurso Muscat du Monde em 2011, com a colheita de 2006.
A adega vende cerca de 3 milhões de litros por ano, sendo que em 2015 começou a apostar no Enoturismo.
Além da existência da loja de vinhos é possível visitar a adega e fazer algumas provas sem marcação (3€-4€).
Recentemente começou também a organizar eventos temáticos (Natal na adega, Vindimas, Visita e degustação de produtos regionais..), tendo atualmente perto de 1500 visitantes por ano.
Uma curiosidade sobre esta adega é a existência de um tanoeiro (construtor de barris para a conservação e transporte de mercadorias, sobretudo bebidas),  de 52 anos e único na região.

img_0572
img_5919

img_5925
img_5927
img_0579

A dormida foi no novíssimo Hotel Casa Palmela, o único hotel de 5 estrelas da região de Setúbal.
Situado em pleno Parque Natural da Arrábida, o Hotel Casa Palmela é uma casa com história que remonta ao século XVII. Ao passar o portão da entrada da propriedade, o caminho é ladeado de vinhas.
O hotel é lindíssimo, cheio de história e pormenores encantadores.
Gostámos muito do nosso quarto, era espaçoso, elegante, acolhedor e com uma bonita vista sobre a piscina, as vinhas e a Serra da Arrábida.
Todo o staff do hotel foi também muito simpático e prestável. O único ponto negativo que temos a apontar foi o pequeno almoço muito fraquinho para um hotel de 5 estrelas. Na mesa havia apenas pão, queijo (a pedido), fiambre, manteiga, compota, fruta, leite, corn flakes (a pedido), café e sumo natural. As expectativas eram altas e foram de certa forma defraudadas, não estávamos, de todo, à espera de um pequeno almoço tão reduzido.

img_0587

img_0584

img_0582img_5948
img_5909

img_5931

img_0566

img_5914

img_0555

img_0559

img_0552

img_5900

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *