Palma de Maiorca #2

Dia 4
No quarto dia rumámos em direção a Magaluf, um dos destinos mais conhecidos de Palma de Maiorca. Pelo caminho parámos na praia de Illetes, que se revelou uma boa descoberta.
A praia é relativamente pequena e muito concorrida mas ainda assim ficou no nosso TOP 3. A água é clarinha e foi uma das mais quentes que apanhámos.
A paragem seguinte foi em Palmanova. Gostámos muito deste local, tem uma boa praia e uma marginal com muitos restaurantes, supermercados e lojas.
Seguimos depois para Magaluf. Assim que chegámos ao centro avistámos a famosa casa invertida do Parque Temático Katmandu. Estacionámos o carro ali perto e fomos conhecer a cidade.
À medida que nos aproximávamos da praia, começámos a ver muitos jovens, bares, discotecas e música na rua. Magaluf é um dos destinos preferidos para viagens de finalistas, por isso muitos bares e discotecas estão abertos não só à noite mas também durante o dia.
A praia estava também cheia de jovens e não faltam bares e discotecas na marginal, como a conhecida BCM. Ficámos um bocado impressionados com a quantidade de jovens, a maior parte estrangeiros, que vimos a beber na rua e à porta de bares àquela hora da tarde.

20150610_141004

Illetes

IMG_20150610_143723_j

Palmanova

IMG_20150610_153937_j

Parque Temático Katmandu

IMG_20150610_154335
Seguimos depois para Camp de Mar mas pelo caminho ainda espreitámos Santa Ponsa e a Cala Fornells em Paguera.
Gostei muito da Cala Fornells. É uma mini praia, com pouca areia mas muito bonita. Apesar de não haver muito sítio para estender a toalha, existem várias cadeiras e espreguiçadeiras ao longo da “cala”.
Chegámos a Camp de Mar já ao final da tarde mas ainda assim, aproveitámos para dar uns mergulhos na praia. Esta praia tem a particularidade de ter um restaurante no meio do mar, existindo uma ponte que o liga à praia. Vale a pena uma visita!
No final do dia fomos ainda conhecer Port Andratx, uma charmosa vila piscatória escondida na serra de Tramuntana. Tem uma grande marina com muitos restaurantes e vários barcos ancorados, alguns deles bem grandes. Pelo tipo de casas, barcos e carros que vimos, pareceu-me ser uma zona cara.

IMG_20150610_172001

Santa Ponsa

IMG_20150610_174614_j

Cala Fornells

IMG_20150610_174710
IMG_20150610_180912

Camp de Mar

IMG_20150610_194503_j

Port Andratx

Dia 5
No quinto dia tivemos azar com o tempo. Durante todo o dia o céu esteve nublado e chuviscou um pouco.
Aproveitámos a manhã para ir visitar uma das Fábricas de Pérolas de Maiorca e depois as Grutas de Drach.
A visita às Pérolas de Maiorca foi relativamente rápida. Foi-nos explicada as várias fases de produção das pérolas e no final passámos ainda pela loja da fábrica onde se pode comprar a preços simpáticos fios, pulseiras e brincos feitos com estas famosas pérolas artificiais.
Seguimos depois para as Grutas de Drach, conhecidas por ter o maior lago subterrâneo da Europa e um dos maiores do mundo.
A gruta é enorme e vale a pena a visita. Demoramos cerca de 1 hora a fazer o percurso e pelo meio ainda assistimos a um concerto musical no lago, seguido de um passeio de barco.
Quando saímos da gruta o tempo continuava nublado e infelizmente não conseguimos fazer praia nesse dia.

IMG_20150611_140531

Grutas de Drach

IMG_20150611_140545

IMG_20150611_141759
Ainda assim aproveitámos para espreitar algumas praias que tinha no meu roteiro, como a Cala Anguilla, S’illot, Sa Coma e Cala Millor.
A maior parte das praias estavam com poucas pessoas e com bandeira vermelha, o mar estava muito agitado, com ondas grandes e sem o azul clarinho característico destas praias.
Acabámos por voltar ao hotel e à noite fomos dar um passeio pela zona no Arenal e como já esperava, havia muita confusão. Imensos Bares e discotecas, jovens embriagados, muitos alemães e muita bebida na rua.
Felizmente encontrámos um bar muito giro e mais calminho junto à praia onde ficámos a beber uns cocktails muito bons.

Dia 6
No 6º dia já não tínhamos carro, por isso apanhámos o autocarro em Can Pastilla (1,50€) e fomos conhecer a capital, Palma. A viagem de autocarro dura cerca de 20/25 minutos.
Fartámo-nos de andar em Palma. Começámos pela Praça de Espanha onde almoçámos na famosa cadeia 100 Montaditos e depois fomos descendo pelas ruas mais movimentadas até à marginal.
Pelo caminho comemos um delicioso gelado na Giovani L, a gelataria mais conhecida de Palma. Está sempre cheia! Recomendo o gelado de doce de leite, é delicioso.
Visitámos ainda a imponente Catedral de Palma de Maiorca e os seus bonitos jardins.
Quando nos aproximámos da marginal procurámos o Hardrock Café mas para chegar lá ainda tivemos de andar mais 1km ao longo do passeio marítimo.
A zona da marginal é muito bonita, tem uma grande avenida cheia de palmeiras, muitas lojas, cafés e restaurantes. Durante o caminho passámos pela marina que estava bem composta de iates.
Quando saímos do Hardrock Café já eram horas de voltar para trás e apanhar novamente o autocarro para Can Pastilla.

IMG_20150612_143628

100 Montaditos

IMG_20150613_112739_j

Catedral de Palma de Maiorca

IMG_20150612_182332_j

Palma

IMG_20150612_185510

Gelataria Giovani L

IMG_20150612_185356_j

Dia 7
No último dia voltámos a Palma mas para apanhar o famoso comboio antigo de madeira que nos leva até Soller.
A viagem custa 15€ e é muito gira. Começa no centro da cidade e depois subimos para a Serra de Tramuntana.
Ao longo da viagem, que dura cerca de 1 hora, vemos paisagens muito bonitas, passamos por vales com pequenas aldeias e atravessamos as montanhas pelos vários túneis construídos na serra.
Chegámos a Soller à hora de almoço. É uma aldeia relativamente pequena e pitoresca com várias vivendas e pequenos prédios em tons de terra.
A zona mais movimentada é a Plaça Constitució, uma praça cheia de cafés e restaurantes à volta, e onde passa também o eléctrico que nos leva a Port Soller. Nesta praça está também a igreja de Sant Bartomeu, uma igreja lindíssima de estilo gótico.
Depois de darmos um passeio pelas ruas de Soller, fomos procurar um sitio para almoçar.
A escolha recaiu no restaurante Can Gata. Um bonito espaço de petiscos com um pátio exterior muito agradável.
Optámos pelo misto de tapas (12,95€) para começar mas não foi a melhor escolha. As tapas demoraram mais de 40 minutos a chegar e já não tínhamos muito tempo livre.
Resultado, acabámos por não pedir mais nada e acabámos o almoço um bocado desconsolados. O misto de tapas era composto por 6 mini-pratos diferentes, mas sinceramente, tirando as croquetas e uns pedaços de frango com molho que estavam muito saborosos, não valeram o preço nem o tempo perdido.

IMG_20150613_130754_j

Comboio Palma – Soller

IMG_20150613_133256_j

igreja de Sant Bartomeu

IMG_20150613_142028

Restaurante Can Gata

IMG_20150613_143742_j
Depois do almoço fomos apanhar o eléctrico que nos levou de Soller até Port Soller.
A viagem de elétrico custa 5,50€ e é igualmente bonita mas mais curta, cerca de 25 minutos. Infelizmente a meio do caminho o tempo começou a ficar nublado e chuviscou um pouco.
Quando chegámos a Port Soller o tempo continuava nublado, por isso não ficámos lá muito tempo.
O elétrico parou mesmo em frente à praia que estava quase deserta. Apesar do tempo não ter ajudado, achei a zona bonita. É uma pequena baia com praia e marina, acompanhada por um passeio marítimo cheio de palmeiras.
Decidimos voltar para Palma de autocarro em vez de fazer novamente a viagem de eléctrico + comboio. Demorámos cerca de 40 minutos até Palma e o bilhete custou só 3,25€.
Chegámos a Can Pastilla já ao final da tarde e como o tempo estava bom, decidimos dar uns mergulhos na praia em frente ao hotel e aproveitar as últimas horas de sol em Maiorca.

Foram umas férias um pouco cansativas, era suposto termos passado mais tempo na praia, no dolce far niente, mas a ilha é tão grande, há tantas praias bonitas e lugares para visitar que é um desperdício não alugar carro e ficar só num sÍtio.

IMG_20150613_152227

Port Soller

IMG_20150613_152900
IMG_20150613_183554_j

Praia Can Pastilla

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *