Braga #2 – A cidade em 3 dias

Chegámos a Braga por volta da hora do almoço e aproveitámos para experimentar as conhecidas francesinhas da Taberna Belga.
Depois do almoço fomos por as malas ao hotel e partimos para o Santuário do Bom Jesus do Monte.
Parámos o carro ao pé do elevador e seguimos para cima no famoso elevador que funciona com um sistema de contrapeso de água. É o mais antigo do mundo em serviço a utilizar este sistema.
O Santuário é muito bonito. Começámos por descer e subir (a parte mais chata) as famosas escadinhas do Bom Jesus, apreciámos as bonitas vistas sobre a cidade, visitámos a igreja e estivemos dentro da pequena gruta. Só nos escapou o jardim do santuário, que infelizmente só soubemos da sua existência quando regressámos a casa.
Elevador do Bom Jesus

 

Santuário do Bom Jesus

 

Santuário do Bom Jesus
Interior da Igreja do Bom Jesus
Gruta do Bom Jesus

No final da visita começou a chuviscar um pouco, mas ainda assim decidimos passar pelo Santuário do Sameiro que é ali perto.
Quando chegámos ao santuário já chovia muito e a igreja estava fechada. A única coisa que conseguimos apreciar, apesar da chuva, foi a magnifica vista panorâmica sobre a cidade.
Seguimos depois para o centro de Braga e fomos jantar ao Mercado das Tapas.

Como não estava muito frio, aproveitámos para passear um pouco pelo centro da cidade e ficámos admirados pela quantidade de pessoas que ainda se encontravam nas ruas aquelas horas. Durante o passeio, descobrimos a famosa Spirito Cupcakes & Coffee e acabámos a noite a comer um geladinho.
Santuário do Sameiro
Igreja do Santuário do Sameiro
Igreja do Santuário do Sameiro
O dia seguinte começou com um belo pequeno-almoço no hotel (adoro pequenos almoços de hotel) e de barriga cheia fomos conhecer o centro da cidade.
Começámos pela bonita Casa dos Crivos, depois passámos pelo Palácio do Raio e pelo Theatro Circo que infelizmente estava fechado.
Seguimos para a Sé Catedral de Braga que é lindíssima por dentro mas não nos deixaram tirar fotografias. Admirámos as bonitas pinturas a fresco nas paredes e no tecto, os dois imponentes órgãos de tubos do século XVIII, e o grandioso altar dedicado a Virgem Maria.
Saímos depois em direcção ao restaurante onde fomos almoçar, e passámos ainda pelo Arco da Porta Nova.
Pequeno-almoço do hotel
Casa dos Crivos
Palácio do Raio
Igreja de Santa Cruz
Igreja de São Marcos
Sé Catedral de Braga
Sé Catedral de Braga
Arco da Porta Nova
A seguir ao almoço, fizemos uma visita guiada ao Palácio e Jardins dos Biscainhos que apesar de parecer pequeno por fora, é enorme por dentro e com dezenas de salas.
Seguimos depois para o jardim de Santa Barbara, um jardim aberto e muito bonito, mesmo no centro da cidade.
As últimas horas do dia foram passadas no centro histórico da cidade, passeámos pela Praça da República, entrámos no emblemático café “A Brasileira” e terminámos a tarde com um lanche (novamente) na Spirito.
De volta ao hotel, aproveitámos o jantar Buffet do restaurante El Olivo (restaurante do hotel).
Palácio dos Biscainhos
Jardim do Palácio dos Biscainhos

 

Jardim de Santa Barbara

Igreja de São Marcos
Café A Brasileira
Sé Catedral de Braga
No último dia em Braga, saímos em direcção ao Mosteiro de Tibães.
Por sorte chegámos antes das 13h e a entrada foi gratuita (preço normal 4€ e cartão jovem 1,60€).
O mosteiro é muito bonito e enormeee, com salas e cantinhos que nunca mais acabam.
Além do mosteiro, existe também um grande jardim que vale a pena a visita. Existem vários caminhos e alguns demoram mais do que 1 hora a percorrer, como já não tínhamos muito tempo, ficámo-nos pelo caminho mais curto (cerca de 30min).
Seguimos depois para Guimarães e pelo caminho almoçamos no restaurante São Frutuoso.
Gostei muito de conhecer Braga, é uma cidade jovem, cuidada e com um centro histórico muito bonito.

 

Mosteiro de Tibães
Igreja do Mosteiro de Tibães
Mosteiro de Tibães
Jardim do Mosteiro de Tibães

3 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *